quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

São tantas emoções....

Eu tinha esquecido de contar que, dentre os muitos acessórios com tema “macaco”, Pepê também tem uma chupeta desenhadinha com o babuíno em questão.

Chupeta querida, não dorme sem ela, a eternamente escolhida. Porém, como quase nada na vida é para sempre, essa semana encontramos um furo na chupeta. Chupeta furada é sinônimo de lixo na hora. Daí é que a coisa complicou...

Mostrei o furo para o Pedro, expliquei que a borrachinha poderia soltar e ele engasgaria, que isso é perigoso e, portanto, a chupeta iria para o lixo. Ele entendeu, concordou e quis jogá-la no lixo sozinho.

Fofo, né?!

Pois é, mas ficou arrasado. Cabeça baixa, carinha triste, falando no assunto o dia inteiro, fez questão de contar para todo mundo que encontrou.

Nessas horas, muitas pessoas acham graça nessa tristeza infantil, saem por aí contando a delícia de ser criança e ficar triste com coisas “bobinhas”, enquanto nós adultos é que temos tristezas reais, sérias e verdadeiras, tipo chorar 2 meses seguidos por ter essa mulher na Presidência do Brasil.

E aí vai o meu puxão de orelha: não façam isso. Ou melhor, até façam, mas nunca, em hipótese alguma na frente da criança. A tristeza dele é tão real, séria e verdadeira quanto qualquer uma das minhas ou das de vocês. Essa é a tristeza que ele “pode” ter e consegue elaborar aos 2 anos de idade. Tentem voltar no tempo e imaginar o que é perder a chupeta preferida e companheira de todas as noites.

Tentaram?

Conseguiram?

É muito, muito triste, difícil de conter as lágrimas minhas e dele. Então, eu choro e compartilho o sofrimento do meu filho. Em parte porque é o meu filho amado, também fiquei triste pela chupeta e por vê-lo tão chateado.

Mas tem outra parte.

A gente precisa realmente validar os sentimentos dos nossos filhos, reconhecê-los e fazê-los senti-los com a intensidade que lhes parecer necessária. Porque? Porque emoção faz parte do ser humano, não deve ser reprimida, disfarçada ou colocada de lado.

Pensem em um adulto frio e que não demonstra os próprios sentimentos. Essa pode ser apenas uma das conseqüências dessa “repressão” de emoções e sentimentos na infância e, honestamente, não é uma consequência legal para a própria pessoa e nem para quem convive com ela.

Então, caros leitores e leitoras, pai e mãe não estão no mundo apenas para brincar, dar banho, trocar fralda e fazer dormir. A nossa missão é bem mais complexa e a longo prazo, em todas as áreas das vidinhas deles, sem esquecer jamais do lado emocional.

Criança tem sentimento de verdade, sim! E os meninos também choram!

Compartilhar

28 comentários:

Ana Násily disse...

Amei Camilaaaaa, sempre falo isso aki para os avós das crianças, que falam oq querem coisas de todo tipo e acham que criança não tem sentimento! triste né! eu curto todos os momentos junto com os filhotes..e eles me teem como amigona e vice versa
bjs

liasergia disse...

Aim, tadinho! Será que ele fica mais felizinho se vocês levarem ele pra escolher uma nova, bem bacana? De repente ajuda a esquecer mais ligeiro!


Bjo!!

Carol Garcia disse...

concordo e sou solidária.
sofro aqui pelo babuíno perdido. de verdade.
bjo bjo bjo

Milka disse...

Sim!! eu concordo muito com isso, e tenho feito de tudo para que minhas filhas sintam que são amadas e que todos os sentimentos delas tem muito valor.

beijos pra vcs!

Thaís Rosa disse...

Boa!!!

Dani disse...

Puts! Que aula essa, heim Cá! Post digno de ser publicado na Veja! Perfeitas suas colocações!
Beijo, querida!
Dani

Priscilla disse...

É mesmo Camila! É a sensibilidade de valorizar os sentimentos deles que fortalece os laços e cria os vínculos verdadeiros.

Lu disse...

Ai, quase chorei eu junto com ele e com vc!
Nao tem onde comprar outra chupetinha de caco pra ele?

Esse post ta mto bom, meu marido foi ensinado a nao demonstrar sentimento ruim, a achar q ficar triste nao muda o problema em si, q o negócio é bola pra frente e pensar positivo. Morro de pena dele (pq eu sou drama queen em pessoa - choro, amo, odeio, grito - td com intensidade e emoção!), e com mta raiva da mãe dele... ufff..

beijo!

sofia-educarcomcarinho disse...

Subscrevo, óptimo post para reflectir
Até tenho escrito sobre isso lá no meu cantinho, temos sim de ter em conta os sentimentos dos nossos filhos e nunca reprimir ou pior ainda criticar negativamente...
Acho mesmo que é um assunto sério... e não saber ver e respeitar os sentimentos dos pequenos com os seus olhos e o seu nível de compreensão pode trazer muitos problemas na formação de uma pessoa capaz de enfrentar o mundo com auto-estima e confiança.

Ro_England disse...

Muito bom Camila..Super válido lembrar disso. No dia a dia acabamos mesmo não dando a devida importância, e até nem "chorando" junto na hora que os sentimentos de tristeza por exemplo se afloram nos pequenos.

Renata disse...

Querida, não tenho nada a acrescentar, só digo que AMEI esse post com todas as minhas forças porque é isso mesmo que eu penso.
Tb fico triste pelo Pedrinho lindo.
beijos, Re

Lisiê Piccolotto Aguiar disse...

tadinho...também não gosto que fiquem "tirando saro " dos nossos pequenos,como se eles por serem crianças não ligam pra " essas coisas " .criança temsentimento SIM! E TEM QUE SER RESPEITA ! ótimo post Camila !abraços

Priscila, disse...

Isso aí. Eu tenho uma raiva de quem fala pra criança que se machuca (física ou emocionalmente) "Ah, não foi nada"... Como assim, não foi nada??? Eu digo: "eu sei que dói, pode chorar, a mamãe está aqui ao seu lado."
Acho o maior pecado do mundo desdenhar os sentimentos dos pequenos!
Beijo.

Liliane Pimenta disse...

Falou e disse Camila, temos que respeitar os nossos pequenos.
jeppimentinha.blogspot.com

Naiara Krauspenhar disse...

Com adultos idem.
A questão é que temos que respeitar os sentimentos de todo mundo, PRINCIPALEMENTE das crianças.
Se fulano está sofrendo por algo que voce acha bobagem, okay. Mas respeite, porque para ele aquilo pode realmente estar doendo.
E quando se trata de crianças então, nem se fala.
Bjos

Anne disse...

poxa, como eu concordo!
muito (ou tudo) dos grandes problemas de insensibilidade ou o extremo do desequilíbrio é gente que de pequeno não aprendeu a ler e enfrentar o próprio sofrimento, né?
to com vcs. triste pelo pepê. mas vai passar, ainda bem!
bjos

Sarah disse...

Lindo post Camila! Com certeza as crianças sentem sim tristezas que são relativas à idade deles. Muito bom vc tocar nesse ponto.
beijo

Adriana Alencar disse...

Que lição para nós mamães! Às vezes esquecemos o quanto as coisas pequenas para nós podem ser importantes para eles, vou prestar mais atenção daqui por diante!
Bj
Adri

Milene disse...

Ai, é bem verdade isso! Ainda me dá um nó na garganta quando me lembro da minha Bilu-Bilu manchada no rostinho (sei lá o que a empregada passara nela e ela ficou com uma mancha roxa!!!).
Mas o tempo cura... agora o pepê de macaco foi se encontrar com macaquinhos no céu das chupetas!

Jokas da Diiirce

Patricia Tulmann disse...

Cá, nunca me esqueço que quando criança perdi meu ursinho querido de pelúcia que me acompanhava dia e noite, noite e dia. Fiquei arrasada, mas fiquei mais arrasada ainda porque meu pai e minha mãe não deram a mínima. Tipo viraram a página, trocaram de assunto.
Aquilo foi mais triste do que o ursinho em si.
Portanto acho super válido se entristecer junto com o Pedrinho. Isso com certeza torna a perda dele menos sofrida.

Anônimo disse...

Nao poderia ser mais verdadeiro e melhor colocado!
Beijos no Pepe!
Mi

Tchella disse...

isso de dar valor pro sentimentos dos pequenos eu levo mto a serio... desde que o lucas nasceu procuro falar com ele que entendo oq ele tá sentindo, se está com fome que mamae tá correndo para dar o mamázinho dele e ele já vai mamar, ou se tá com dor na barriga que eu sei que dói mas vai passar... enfim, acho que nao dá para ignorar o que ele sente nunca, ele tambem é uma pessoa, mesmo que pequeninha :) e meninos choram sim :))

Cris Crozat disse...

O mundo de emoções dentro de cada criança é complexo tanto quanto o universo lá fora. Portanto devemos sempre validar e respeitar os sentimentos dos pequenos também. Parabéns, seu filho tem sorte de ter uma mamãe como você!

Dani disse...

maravilhoso post, Camila. Concordo com cada linha.
E mande um beijo meu bem grande para o Pepe.

chris disse...

Ôôô se choram, e como choram, Camila!

Menina, se meus filhos fizessem terapia, a psicóloga deles seria você!

Bjinhossss,

Chris e três mosqueteiros

(Mamãe) ~Pinel disse...

Concordo e assino em baixo!!!!
Eu sempre fico com lágrimas nos olhos ao ver meus irmãozinhos tristinhos com alguma coisa, nem imagino como vai ser quando for a Lara!

A gente tem que valorizar tudo, e lembrar sempre que criança é gente que nem a gente, que tem de ser tratada com o respeito que merecem!!! E lembrar, acima de tudo, que elas serão aquilo que a ensinarmos ser!!!!

Uma pena a perda do bico de macaco!!! =/
Espero que ele se esqueça logo, e fique bem!

Beijo!

Jussara disse...

Eu já tinho lido esse post, mas não comentei. Mas rachei de rir do "tipo chorar 2 meses seguidos por ter essa mulher na Presidência do Brasil".

Quanto à tristeza dos pequenos, concordo que não devemos subestimá-la, nem quando são assim pitocos, e nem depois já maiorzinhos. Aliás, nunca deveríamos desvalorizar os sentimentos de ninguém, seja criança ou adulto.
Bjs.

Bih.! disse...

Camila, seu blog é o máximo. Você parece super descontraída mesmo quando o mundo tá desabando. Além de tudo, adota um viés psicanalítico que como boa psicóloga que serei, eu adoro.

Parabéns.

 
Licença Creative Commons
O trabalho Mamãe Tá Ocupada!!! foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - SemDerivados 3.0 Não Adaptada.
Com base no trabalho disponível em www.mamaetaocupada.com.br.
Podem estar disponíveis autorizações adicionais ao âmbito desta licença em www.mamaetaocupada.com.br. Paperblog :Os melhores artigos dos blogs