quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Estante Mágica

Escrevi esse texto sobre leitura para crianças para o site Estante Mágica (super legal, por sinal, vale a pena fuçar!). Quem não leu lá, pode ler aqui.

Aproveitem!

"Aqui em casa, as crianças têm horário para tudo: almoçar, jantar, tomar lanchinho, dormir, tomar banho e tudo o mais que envolve a rotina deles.

No entanto, há uma coisa que vive fugindo da rotina. Ou melhor, que não se tem rotina ou controle nenhum: a leitura. Toda hora é hora! Ouvem historinhas sempre que querem. Muitas vezes, eles mesmos contam (do jeitinho fofo deles!) um para o outro.

Vejam só: Manuela tem 3 anos, Joaquim e Pedro são gêmeos que acabaram de completar 2. Os livros sempre fizeram parte das vidinhas deles, estando expostos, disponíveis e acessíveis desde que nasceram.

Considero importante manter uma “bibliotequinha” no quarto da criança, estejam os livros em estantes, caixas ou em qualquer outra disposição possível. Com a minha experiência, percebi, no entanto, que nem todos os livros devem estar à disposição. Ou seja, eles devem se adequar à idade das crianças.

Um bebê, quando começa a se interessar pelos livrinhos e tenta manuseá-los não tem condição de “ler” com o cuidado que livro exige e merece, ele pode (e vai!) rasgar as páginas e levá-las à boca. Então, nessa fase, o ideal são os aqueles de plástico e com páginas grossas.

Um parênteses necessário para os livros de plástico: super, super úteis e recomendados para os momentos de banho. Servem tanto para o relaxamento delicioso que o banho oferece, proporciona maior interação entre mãe/pai e criança, pode acalmar e distrair aqueles que ainda não são muito fãs do banho e, o melhor de tudo, une o banho à leitura, porque não quando se é pequeno?

Também tenho alguns livrinhos na copa do meu apartamento, exclusivos para a hora da comida. Nesse caso, escolho alguns de plástico, pois vai cair alguma comidinha e sujar, nada que um paninho molhado não resolva. Mas separo os de menor tamanho, para não ocupar tanto espaço no cadeirão e “competir” com a comida. Nos dias de hoje, em que a televisão parece ser a solução para tudo, contar história durante as refeições é muito mais enriquecedor do que ligar a TV no Discovery Kids!

De tempos em tempos, dou uma “geral” nos livros. Separo para doações aqueles pelos quais eles não se interessam mais e que já passaram da idade. Outra coisa muito importante que eu faço com (muita!) freqüência é consertar os livros com um durex básico.

Infelizmente, não tem jeito, por mais que a gente se esforce e ensine os cuidados com os livros, sempre tem um rasgadinho ou outro.

Acredito que isso acontece por dois motivos simples: o primeiro diz respeito ao manusear o livro. É necessária uma coordenação motora fina e desenvolvida para mudar as páginas adequadamente e isso só vem com tempo e o “treino”.

O segundo é um fato característico da infância: a criança se descobre capaz de rasgar e “picar” as coisas e, para o nosso desespero, acha isso uma delícia! Tudo bem, mas não com os livros, certo?! Se perceber que esse é o caso, basta oferecer revistas velhas e jornais lidos e eles vão se deliciar por algum tempo.

A experiência da maternidade me ensinou que há tipos de livros para as diferentes idades.

Tem aqueles que você aperta botõezinhos e fazem barulhos de bichinhos, de meios de transportes variados, tocam musiquinhas e tal. Tem os chamados livros “pop ups”, com milhares de portinhas, janelinhas e outras coisas para a criança abrir, identificar, reconhecer e encontrar objetos e personagens.

Tanto os livrinhos “barulhentos”, quanto os de “abrir” são absolutamente fascinantes no que são capazes de ensinar aos nossos filhos. Acredito que vale a pena investir, ensinar e incentivar esse tipo de leitura. Os temas e assuntos são bastante variados e vão, certamente, ampliar muitíssimo o repertório da criança, despertando o seu interesse para tudo o que lhe for apresentado.

Há também os livros de histórias curtas e simples, mas que se baseiam principalmente na repetição. Um exemplo é o “Bruxa, Bruxa, venha à minha festa” da Brinque Book.

Trata de uma menina que pede que todos os seres assustadores compareçam a sua festa: bruxa, gato, espantalho, coruja, árvore, duende, dragão, pirata, tubarão, cobra, unicórnio, fantasma, babuíno, lobo e Chapeuzinho Vermelho. Os diálogos são sempre idênticos, mudando apenas o “convidado” em questão. Nesse caso específico, a criança aprende rapidamente a reproduzir a história inteirinha e, de quebra, conhece com a maior facilidade os novos personagens que a história nos traz.

O próximo tipo são as histórias propriamente ditas e o objetivo é partir de enredos simples e curtos, para os mais complexos e longos. Mas, para isso, deve-se respeitar a idade em questão, o tempo de concentração e atenção que a criança apresenta e a capacidade de compreensão das histórias.

São comuns também aqueles livros que eu chamaria de “auto-ajuda” infantil.

Calma, calma, explico: historinhas sobre a chegada do irmãozinho, sobre não usar mais fralda ou chupeta e todas essas questões do dia-a-dia das crianças, que envolvem fases de crescimento, nem sempre tão simples de serem superadas.

Acredito nesse tipo de leitura, as crianças são movidas por exemplos e modelos e quando se encantam por um personagem de alguma história, podem muito bem se identificar com ele e atingir algo novo e maravilhoso no sentido de superar medos, por exemplo.

Esse é m pouco do jeito que a leitura entra na minha família e participa da rotina dos meus filhos. Não se deve ter regras. Talvez objetivos e intenções.

Se o seu filho te pede diariamente para contar uma história antes de dormir, escuta tudo, prestando a maior atenção, participando e interagindo da história, com os olhinhos arregalados e brilhantes, o caminho é esse mesmo!

Objetivo conquistado!"


Compartilhar

20 comentários:

Ana disse...

Aqui em casa eu tbém leio muito para o Felipe. Hoje deixo a mão dele só os de plástico e os de pano, pq os outros ele realmente vai estragar.Procuro comprar algum todo mês e assim que mudaramos para nossa casa quero fazer a bibliotequinha no quarto dele. Esses dias comprei um cd com histórias iguais as que eu ouvia, nos discos em casa. Mal vejo a hora dele entender pra ouvir! Bjos

Lu disse...

Oi Camila! Feliz 2011!

Eu adoro livrinhos tbem, de todos os tipos, e quero q grao de bico leia MUITO. Alias, essa eh uma das minhas (milhoes de) preocupacoes, como vou manter uma biblioteca de livros em POrtugues pra ele aqui? Pq em Hebraico ele vai ler na escolinha, ne? Eu quero ter muitos livrinhos em Portugues nao so pra ele aprender a curtir a leitura desde pequenininho, mas tbme pra ajudar no aprendizado do Portugues. O pior é q eu falo pras pessoas q os melhores presentes q podem me mandar dai são livros pra ele, q é o único q não posso achar aqui... mas a maioria acha q eu sou mãe chata, q quero filho nerd... dificil, viu?

Mas eu vou dar um jeitinho...

Beijos

Luciana
http://graozinhodebico.blogspot.com/

Gabriela Gomez disse...

Eu também procuro ler bastante pra eles é enriquecedor pra todos!
Quando vejo tá o Matheus contando pra Thaís, e ela com a maior cara de compenetrada mesmo sem estar entendedo muito.
O que vale é a experiência, né.
Bjs
Gabriela

Naiara Krauspenhar disse...

Eu já havia lido esse post... mas não lembro de ter entrado no estante mágica, você colocou ele em algum outro lugar, ou eu que estou surtando mesmo?
Aqui em casa temos vários livrinhos... GG está sempre por volta com os dela.
E ela adora. As vezes surto de ver o estadinho deles. Apesar de ela ser cuidadosa, eles já estão mais pra lá do que pra cá... rs
Leitura é tudo de bom!!!
BJos

Priscilla disse...

Camila,
Também acho importante o hábito da leitura partir dos pais. Dar o exemplo é uma mensagem mais forte ainda do que ter uma biblioteca recheada e não tocar em um livro sequer.
Beijos

Ana Carolina disse...

Nossa que exemplo lindo!!! Quero fazer assim com meus filhos!

BJKS
Ana Carolina
quasemaepai.blogspot.com

Carol Garcia disse...

somos devoradores de livros.
amamos.
adorei o texto camilitcha.
só é triste quando aguém vê que isaac gosta de livros e olha com dó....
parece que eu obrigo meu filhote a gostar de ler e não é isso que acontece.
bjocas

Karine e Rafinha! disse...

Oi Ca! Nossa, adorei o texto e me identifiquei muito com ele. Rafinha tbm já tem sua "minibiblioteca" e grande interesse nos livros. Eu compro sempre e leio para ele antes de dormirmos. É impressionante como ouvindo umas 2 vezes eles já decoram a história não é? Se todas crianças pudessem ter a oportunidade de ler viveriam grandes aventuras sem sair de casa...Bora incentivar à leitura...bjs

Regina disse...

Camila, acredito que todas as mães que acompanham blogs, que gostam de ler, ensinam a seus filhos a importancia e como é gostoso viver uma história. Ter mães blogueiras faz bem pra "saúde linguística" das crianças!! rsrsrs

beijos
ótimo dia pra vocês!

Julia Usui disse...

Oi Camila, amei o texto, tenho gêmeos de 7 meses, e já comecei a ler p/ eles e constatei que eles amam e ficam vidrados em mim. Acho o máximo!

bjus

http://osgemeosdaju.blogspot.com/

Tchella disse...

amo livro, leio muito. e desde que nasceu leio pro Lucas a Biblia do nene. agora pensando vi que ele nao tem muitos livros, sempre leio, mas sempre o mesmo, com varias historinhas diferentes... vou comprar desses do banho que vc falou ;)

Priscila, disse...

Isso mesmo. Assino embaixo! Aliás, livro é a única coisa que compro para as crianças fora de datas especiais... Pediu um livro, um gibi, uma revista, eu compro na hora e sem dó. E ainda sinto o maior orgulho de vê-los devorando as páginas! (Não mais literalmente, porque já passaram dessa fase...)
Beijo!

Sarah disse...

Excelente post! A leitura é um dos maiores incentivos que podemos oferecer à criança, por proporcionar o desenvolvimento da linguagem, do vocabulário, da interação, da coordenação... além, é claro, da imaginação! Adorei o texto.
bjocas

Luciana disse...

Adorei! Aqui em casa é a mesma coisa. Todos nós adoramos livros e estamos sempre lendo ao invés de estarmos na frente da tv. Acho que esse é um dos motivos pelos quais o Nic tem sempre um livrinho na mão: porque quer nos imitar.

Também adoro e mantenho livros por toda parte da casa. No quarto dele tem uma estante só dele, na sala as duas prateleiras de baixo, no banheiro tem os livros do potty training e na cozinha os da hora das refeições. Mas os records de audiencia aqui em casa são sem dúvida os livrinhos que eu mesma faço. Morando longe da familia, acabei por fazer um livro chamado "a festa do Nicolas" onde em cada pagina chega um convidado. Daí vou colocando fotos da familia proxima - avós, tios, primos, e a gente, é claro. Ele AMA! Sem falar no ultimo, contando a rotina dele, que tem sido "O" livro da vez.

Beijos e otimo post!

Lu

Beta, a mãe disse...

Oi Camila
Já tentei diversas vezes prender a atenção da Bia nos livros, em vão....ela só topa quando ela chama pra ler. Puxa cadeirinha e tudo, mas tem que ser rápido, porque perde o interesse rapidinho. Eu conto umas histórias improvisadas, de acordo com o grau de interesse dela. Espero que o Leo se interesse mais. Mas sinceramente, essa coisa de ler antes de dormir, dá uma preguiça. É lindo e talz, mas na prática, quando já está cansada e querendo que as crianças "desliguem" é a última coisa que eu penso, e esse hábito eu não quero não. Ainda mais agora que eu consegui convencer a menina de dormir "sozinha".
Acho que deu pra perceber que eu sou do time das que não lêem muito né? Adorei o texto, e se eu tivesse disciplina pra tal, eu adotaria. um beijo e sou sua fã!
Força na ginástica e na dieta! Que logo logo as aulas recomeçam.

Carol P disse...

COncordo com vc os livros sao mais enriquecdores q a TV.bj

Micheli disse...

Aqui em casa leitura faz parte. E a pequena até dorme agarrada nos livros, de tanto que ela gosta. Já tem muitos livros na sua mini biblioteca. É bom demais ler histórias para ela! E vê-la me contando depois, ao seu modo. Tudo de bom.
Beijos.

Dulci disse...

Bom Camila, aqui em casa estamos sempre lendo também. A TV como foi combinado só nos finais de semana quando não tiver (ou não der)nada + legal pra fazer. Rotina a parte lemos todos os dias.O meu caçula de 6 anos (quase 7) começou a ler sozinho no 2ºsemestre de 2010 e agora ninguém segura quer ler tudo, oque acaba dando briga com a + velha(9 naos).òtimo pois assim revezamos e todo mundo fica feliz!
Bjs até mais.

Kah disse...

Livro já é tudo de bom. Adoro ler e leio muito -ainda mais que durmo pouco.hauahuah Mas tem uma coisa que, depois da maternidade, eu descobri! Livro acalma! Quando a coisa pega, livro na Juh! hahahauhauah
Ela gosta, eu gosto, ela pára quieta e eu descanso. Perfeito!
Beijão!

Estante Mágica disse...

"Quem pega o gosto pela leitura na infância tem esse gosto para o resto da vida!" José Mindlin

Parabéns, mais uma vez, pelo lindo texto! =)

 
Licença Creative Commons
O trabalho Mamãe Tá Ocupada!!! foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - SemDerivados 3.0 Não Adaptada.
Com base no trabalho disponível em www.mamaetaocupada.com.br.
Podem estar disponíveis autorizações adicionais ao âmbito desta licença em www.mamaetaocupada.com.br. Paperblog :Os melhores artigos dos blogs