segunda-feira, 17 de outubro de 2011

As festas infantis de cada geração

Eu era aquela criança que tinha febre de ansiedade nos dias que antecediam as minhas festas de aniversário. Sofria um monte de tanto esperar e ficava doente.

Durante a minha infância, sempre vi a minha mãe botar a mão na massa e preparar as minhas festinhas, que eram sempre junto com a minha irmã, já que fazemos aniversário no mesmo mês e isso nunca foi um problema. Adorávamos dividir as festas e reunir os nossos amigos.

A minha avó morava em Campinas e sempre vinha para São Paulo alguns dias antes da festa para ajudar a minha mãe. Era ela chegar e a minha ansiedade disparava! Em parte por saber que ganharia presentes antecipadamente e também por saber que assim que a minha avó chegasse, começavam mesmo os preparativos.

O nosso apartamento ficava cheirando a brigadeiro e chocolate por dias, já que a minha avó vinha preparar o bolo mais especial do mundo, que as próprias netas escolhiam (nada de pasta americana e bolo decorado, era bolo caseiro mesmo, bem molhadinho e recheado, delicioso!). A minha mãe era responsável por panelas e mais panelas de brigadeiro. Ela fazia e nós ajudávamos a enrolar, sempre intercalando: enrolava um, comia outro e assim por diante.

Com essa experiência e essas lembranças, confesso a vocês: eu nunca fiz um bolo para os meus filhos. (A não ser aquele bolo de caneca no microondas que tem cheiro e gosto de ovo. Isso conta?). O brigadeiro eu faço muito bem, obrigada. Tem um ingrediente secreto e que faz toda a diferença que vai comigo para o túmulo. Mas nunca enrolei brigadeiro nenhum, apesar de saber até hoje quantos brigadeiros enrolados rende uma lata de leite condensado . Aposto na praticidade do brigadeiro de copinho e colherzinha, uma beleza! É lúdico e economiza muito tempo...

*****

Eu acabei relembrando essas lembranças e senti o cheiro do bolo e do brigadeiro enquanto preparávamos o conteúdo dessa semana no Mamatraca: o tema é festas! Está muito legal, alegre e colorido, vale a pena. E para começar bem a semana, eu to lá no tricô, conversando com as meninas e com as leitoras os tipos de festa escolhidos para a comemoração do aniversário dos filhotes. Aquele debate e eterna polêmica entre buffet infantil e festa handmade em casa.

E vocês? Fazem como?Mamatraquem também: www.mamatraca.com.br



Compartilhar

4 comentários:

Dione disse...

Camila, também tenho ótimas lembranças dos meus aniversários. Imagina, lá em casa somos 5, tinha festa boa parte do ano. Cachorro quente de carne moída, bala de coco enrolada com aquele papel cheio de franja, bolo toalha felpuda (minha tia era uma mulher de visão e já fazia caixas de bolo na década de 70), brigadeiro, o apartamento cheio de criança correndo... Muito bom!
Beijos!

Thainá disse...

Olá!
Também tenho várias lembranças dos meus aniversários, e a minha avó também fazia os bolos e docinhos...
Lembro de uma vez que pedi para ela fazer um bolo de fubá cremoso por que na época era o meu predileto... ela quase morreu de tanto rir!!
Boa semana pra ti!!

Maria Duda disse...

Época boa essa! No aniversario da Duda de 1 ano o máximo que fiz foram as lembrancinhas. Tb imaginava fazer tudinho bymyself.... mas sem condicoes. Mamae-profissional-mulherdopapai-donadolar simplesmente nao conseguiu. Foi lindo mesmo assim.

Marina Breithaupt disse...

Nossa Cá..as festas de hoje não são mais as mesmas!! hahaha
Lembrei das festas que minha mãe fazia...o brigadeiro de colher..era gelatina....o baleiro colorido com bala de côco!!

delícia!

bjos

www.petitninos.com

 
Licença Creative Commons
O trabalho Mamãe Tá Ocupada!!! foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - SemDerivados 3.0 Não Adaptada.
Com base no trabalho disponível em www.mamaetaocupada.com.br.
Podem estar disponíveis autorizações adicionais ao âmbito desta licença em www.mamaetaocupada.com.br. Paperblog :Os melhores artigos dos blogs