terça-feira, 29 de junho de 2010

Danoninho ou tomatinho??


Eu e a Revista Veja temos um caso de amor assumido e é dela que eu vou falar novamente.

A matéria de capa “Síndrome do Fofão” aborda as questões do sobrepeso e da obesidade infantil; seríssimas, comuns e crescentes nas clínicas pediátricas. Por isso mesmo, notei até algum exagero no que é considerado sobrepeso e obesidade atualmente, pior ainda é o prognóstico para as crianças nessas situações. Enfim, não sou médica e nem especialista no assunto, mas mesmo assim, quero registrar a minha opinião.

A saúde e os bons hábitos alimentares são quesitos fundamentais na criação e educação dos nossos filhos. Desde que são muito pequenininhos devemos estar atentas e preocupadas com os gostos (muito) pessoais, o que é consumido e em que quantidade.

Porém (sempre vem uma dessas conjunções ...), estabelecer o limite é sempre muito difícil e complicado. Eu já tomei muita bronca de pediatra, dizendo que apenas um danoninho contém a dosagem de açúcar que a criança deve ingerir ao longo de um dia inteiro. Ou seja, aquele potinho vermelho é uma bomba calórica para o seu filho. Você compra? Oferece a ele? Manda no lanchinho da escola na 6ª. feira? Eu faço tudo isso e, de acordo com a pediatria atual, estou cometendo um crime e contribuindo com a obesidade na minha família.

Outro pediatra me disse para nem ter bolachinhas e bolinhos em casa, assim os meus filhos não saberão o que são essas coisas (ué, mas eles já sabem, e agora??) e não vão querer comê-las. Ahã. Quem resiste??

Mas, no fundo, eu sei que eles estão certos e têm razão, pois zelam pela saúde dos bebês e crianças, portanto o terrorismo se faz necessário, sim. Se um pediatra falar que o seu filho pode comer danoninho de vez em quando e que é só saber dosar, ter limite e bom senso, pronto, o menino vai comer danoninho dia sim, dia não. Daí, não vai querer saber de mais nada, só besteira, ganha peso, atinge o índice de sobrepeso com disposição para obesidade. A matemática é bem simples assim. E essa é a função dos pediatras, não tem jeito. Um cardiologista nunca me falou que eu poderia fumar alguns cigarros e tudo bem, aliás, se algum cardiologista me falar isso, vou procurar outro!

Então, se nada disso faz sentido ou faz com que vocês se preocupem mais com essa questão, vamos ver por outro lado.

Vocês sabem que as crianças são beeeeeem cruéis e verdadeiras, não?? Pois, imaginem o filho fofíssimo de vocês chegando na escola e, de repente, ele passa a ser apontado como o gordinho e recebe milhares de apelidos?? Coração de mãe não agüenta e, para isso, nem é preciso consulta no cardiologista, é só cuidar melhor da alimentação e se preocupar em inserir hábitos alimentares saudáveis nos pequenos.

Mas, ouvi uma história boa esse fim de semana.

A mãe exemplar, mega preocupada e engajada em fazer a filha comer bem e saudável. A menina correspondia super, alimentação não era um problema naquela família.

Um dia, a mãe foi chamada na escola e teve que ouvir da professora que a sua filhinha estava roubando Fandangos de presunto dos amigos. Ai, imaginem como doeu!! O lanchinho natureba, saudável e equilibrado não estava dando conta da curiosidade e da vontade daquela menina, afinal, ela é uma criança, que vai bisbilhotar o lanche alheio e frequentar festinhas lotadas de brigadeiros, pirulitos e refrigerante.

Eu mesma trago bem-casados de casamentos e como no dia seguinte com os meus filhos. Eles amam de paixão! E comemos pizza no domingo à noite. Também amam de paixão. Mas as caixinhas de tomatinho cereja não duram nem uma refeição aqui em casa, assim como o brócolis, que eles chamam de “arvrinha” e comem segurando nas mãozinhas.

Na dúvida, leiam a matéria, um bom guia para determinar aspectos tão abstratos como bom senso e limites no caso desse assunto específico.

Compartilhar

20 comentários:

Marcia disse...

Olá Camila. Conheci seu blog há pouco tempo, adorei! Assim como vc também abandonei minha carreira pra cuidar do meu filhinho... E sobre o post de hoje, acho que concordo com os pediatras ( nesse caso). Nunca dei danoninho ao Gustavinho e nem pretendo dar tão cedo rss. Agora, em festinhas, de vez em quando, eu dou uma guloseima sim.... :o). Beijinhos!

Uli disse...

Olá Camila! Minha avó já dizia: "A sabedoria, minha filha, está no meio termo" ou seja, bom senso sempre e é isso q peço a Deus todos os dias pq é a tarefa mais difícil na educação. Vi no discovery uma matéria sobre anorexia infantil. Horrível!!! E quase inacreditável! Crianças tão pequenas desesperadas com calorias. meninas q não ingeriam NADA sem antes fazerem conta...um absurdo. E em alguns casos, o problema iniciou em casa com a mãe ou a irmã mais velha fazendo dietas e só comendo coisas saudáveis. Meu sobrinho, só levava sanduiche natural com suco em caixinha. Um dia minha cunhada descobriu q ele trocava de lanche todos os dias com os amigos. Ele trocava um mega sanduba saudável por pacotinho de amendoim, pode???? E chegava em casa morrendo de fome.
Aqui temos hora pra comer e o trio não come nada fora de hora. De um tempo pra cá, começamos a oferecer uma rosquinha mabel na hora do nosso lanche (16:30) q é depois do lanche deles (15:30), porém antes do jantar deles (18h). Ontem mesmo eu comentei q ela está atrapalhando a jantinha deles. Pode parecer loucura mais é verdade! Provavelmente vou começar a lanchar na cozinha pra não dar nada, afinal eles já estão lanchados e vão jantar logo depois.
O exemplo dos pais tb conta muito...não adianta querer q os filhos comam na hora certa e coisas certas se não há este perfil em casa. E isso, confeço q eu e meu marido ainda teremos q mudar muita coisa, rsrsrs.
Tb acredito muito nas atividades físicas desde cedo. Menos TV e mais brincadeiras e mais tarde o próprio esporte mesmo.
Bom, tbm sou bem leiga no assunto, mas em tudo q eu não domino eu busco a tal "Sabedoriiiiia do meio termo". hahahahha

Fernanda Oening disse...

Tive que mudar radicalmente a minha alimentação durante a gravidez de Clara. Sou jornalista, trabalho horas por dia, super adepta do fast food, não gosto de legumes, frutas, verduras... na gravidez, contratei uma senhora que fazia marmitex saudável e me trazia todos os dias. Confesso que na alimentação da Clara, me encho de dúvidas. Como ensinar seu filho a comer verduras e legumes, sendo que vc não gosta? Muito difícil! Mas eu faço... e peço todos os dias que ela sempre coma de tudo, sem torcer o nariz para as coisas saudáveis. A pediatra liberou agora queijinho, sorvete e danoninho, tudo com muita cautela, até porque Clara é muito maior do que as crianças da idade dela. E a família do pai é acima do peso. Cuidado redobrado! Portanto, vou liberando as guloseimas de vez em quando, em pequenas quantidades... bjs

Ana Násily disse...

Flor, eu adoro o seu blog, minha mae a vida toda foi assim comigo, super cuidadosa com a minha alimentação mas quando casei tudo desandou eu engordei 35kg e nao consigo emagrecer!!! fico muito preocupada com meus filhos pois temos que ser o exemplo!!! é dificil viu!!!muito dificil!!! que começe em mim!! ai a alimentação dos filhotes seram a consequencia!! mas tudo esta na sabedoria e não na neura!!

Grazi, mãe do Principe disse...

oI cAMILA, ADORO SEU BLOG, TO SEMPRE POR AQUI , E CONFESSO QUERIA SABER SUA RECEITA MAGICA PRA DAR CONTA DE TRES RSRSRS .

CONCORDO COM VC TEMOS QUE SABER EQUILIBRAR, MESMO PORQUE POR MAIS QUE TENTAMOS DEIXA-LOS LONGE DAS PORCARIAS UM DIA SEM QUERER O FANDANGOS APARECE NÉ .
BJINHUS

Mamma Mini disse...

Oi Cá, assunto pertinente, o David também ama comer bóclis que ele também apelidou de árvres e couve flor também....
come com as mãozinhas... ama fruta e carnes e se alimenta super direitinho durante a semana, mas finais de semana a gente libera um chocolatinho, bolinho ele sempre come, biscoitos, não tem jeito, fora que estes snacks são práticos, aqui em casa o problema sempre foi justamente o contrário, filhote sempre na curva abaixo do peso ideal, mas já aprendi a conviver com isso... liberamos guloseimas nos finais de semana e durante a semana vida regrada.... a única coisa que não libero é refri, do resto o pessoa já conhece quase tudo...rs rs rs rs, bom senso é tudo né? bisou!

Sarah disse...

Oi Camila!
Acho que, realmente, o "segredo" (se é que existe) está no equilíbrio: não proibir por completo nem liberar geral. Sempre priorizei a alimentação saudável com o Bento, que só foi experimentar danoninho e outros petiscos depois de fazer 1 ano. E só deixo comer em ocasiões especiais, tipo aniversários. Nunca me esqueço de uma amiga que deu refrigerante e chocolate para o filho de apenas... 5 meses! Fiquei horrorizada!
Claro que as crianças vão demonstrar curiosidade pelo que os amiguinhos estão comendo, principalmente se forem criados em regime militar e nunca puderem comer nada diferente. Mas acho que, se orientados desde cedo a apreciarem uma alimentação saudável, as crianças seguirão essa linha naturalmente. E concordo com os comentários acima: sem dúvida o exemplo dos pais conta muito.
um beijo!

Ana - Viajar é tudibom! disse...

Adorei a postagem!
E vou te confessar, que qdo meu filho era um bbzinho começando á comer, eu ficava toda boba ao vê-lo comendo algo do meu prato que eu colocava na boquinha dele, hj faria tudo ao contrário, ele deve saborear e gostar daquilo que é feito pra crianças! Tá certo, tenho uma amiga que deixa o filho dela quase soltando as lombrigas pra fora e não dá nem um pirulitinho pro pqno, acho uma judiação! uma dó de ver, isso pra mim já não serve, mas gostaria sim de ter dado á exemplo bons hábitos alimentares. Ainda bem que há tempo, o Pedro com 01 ano e 04 meses, está apenas descobrindo as coisas, mas já conhece bem o que gosta e o que não gosta!
Parabéns + uma vez!
Abraços
Ana

Di disse...

eu sou muito radical aqui em casa com a alimentação da rebeca. Começou na minha gravidez e infelizmente não consegui manter o habito comigo. mas a quem pergunta pq sou tão radical, respondo: moro com meus pais, infelizmente. E, olhe bem pra mim na minha obesidade e responda sozinho se vc acredita que a alimentação em casa e saudavel. Minha mãe não come nada que não for frito, não toma agua ou suco, so refrigerante, tendo chegado a extremos de preferir tomar uma cerveja no lugar do refri qd esse acabou ao invez de agua. Sei q se eu liberar um ou outra coisa de vez em quando, vou dar abertura pra q, quando minha mãe ficar cuidando dela acabe sempre opitando pelo facil, e enchendo a menina de bolachas, chocolates e refrigerantes. Então, ja que por enquanto ela não vai pra escola e eu posso controlar, eu controlo. depois, mais pra frente, vamos com cuidado. Ai, qd for visitar a vovo, comer guloseimas sera um evento regado de boas lembranças, mas ñ recheado de gordurinhas indesejaveis.

Dany disse...

Acho que o mais importante é saber equilibrar - e isso, claro, é dificílimo!
Caio, meu filhote de 7 anos, não toma refrigerante. Não gosta. Acho que porque nunca apresentei o grande vilão na sua primeira infância.
Quando mudamos ele de escola, entrou outro problema: a cantina.
As cantinas das escolas também não ajudam. Então fiz um acordo com ele: de segunda à quinta, ele leva um lanche saudável. Na sexta-feira, é o dia do pecado - ele pode comprar na cantina (só compra besteira, claro).
Mas não me culpo. Tento equilibrar, negociar e adiar o máximo que puder "os pecados" da vida gastronômica. :-)

Pam Salzgeber disse...

Oi Camila, pois é menina, alimentação das crianças tiram o nosso sono né!, eu de certa forma tento colocar legumes e verduras mas um custo deles comerem , confesso que errei no começo. A pergunta que não quer calar: Como ensinar os filhos a ter uma alimentação saudável?. se eu mesma não tenho uma alimentação saudável.
É complicado, eu evito dar besteiras, como balas, pirulitos, açucar em geral, mas cereais , tipo sucrilhos que tem açucar e danoninho não tem jeito.

No mais é tentando compensar com almoço e janta saudáveis rsrs, pelo menos 2 vezes por semana faço sopa, com muitos legumes pra compensar os dias que eles se recusam a comer quando os vêem rsrs.

Ser mãe é se preocupar né amiga!

Parabéns pelo post.

Beijão

Nutrição & Cia disse...

Camila não é facil quando o requisito é a alimentação dos nossos queridinhos. Queremos tudo de bom e do melhor e guloseimas são boas fazer o que. Eu faço como mammamini disse regras durante a semana pois eu dou almoço, faço a lancheirinha dela e dou o jantar e libero docinhos nos finais de semana, mas tem que almoçar direitinho. Refri também ela nunca provou e na escolinha na idade dela não existe. Lá tem uma nutricionista também o que é muito bom pra eles. Ela acha que tudo que faz espuminha é a cerveja do papai. Ótimo vou segurar enquanto puder, mas uma hora ela vai conhecer......... Bom ai já é outra história.
Controlar Camila é a unica coisa que podemos fazer quando eles estiverem com a gente. Bjs

Patricia disse...

Camila,
sou sua leitora assídua. Falou e disse. Equilíbro está no meio. Eu tenho uma tendência a ser meio xiita com alimentação mas à medida que os pequenos crescem fica mais difícil evitar o contato com os fandangos da vida. Em casa não tem, mas tem na escola, como vc disse, na casa de um e de outro. E aí? Proibir? Acho que fica mais gostoso. Melhor tentar não valorizar muito as porcarias. Minha filha recentemente conheceu o chocolate e gamou. Tchucuiate, como ela diz. Vou proibir? Não. Vou dando enquanto a barra existir aqui em casa. Depois uns vários dias sem comprar e tudo certo. Acho que é por aí.
beijos

Chris Ferreira disse...

Oi Camila,
acho que os dois na quantidade equilibrada.
Falando de experiência própria na minha casa tinha de tudo e nós podíamos comer de tudo de forma equilibrada e todos tínhamos um peso bem normal. Quando minha mãe se casou com um médico ele radicalizou, em prol da saúde física doces e besteiras era totalmente proíbidas. O que aconteceu? Começamos a comer nas festas e em outras oportunidades e nesses momentos comíamos (eu e minha irmã) de forma descontrolada. Ou seja, temos problema para o controle do peso até hoje. Aqui em casa tem de tudo e as minhas filhas preferem as frutas aos biscoitos. As frutas acabam rapidinho e os biscoitos rolam no armário. Preferam o suco ao refrigerante. Sempre temos refrigerante na geladeira e algumas vezes temos que jogá-lo fora porque ficou sem gás. Tem danoninho frequentemente (aliás fiz uma postagem sobre ele hoje) e elas comem com parcimônia. Nenhuma das duas têm problema de peso ou em alguma taxa no exame de sangue. Mais uma vez acho que o equilíbrio entre saúde física e mental é o ideal. A questão é onde está esse ponto de equilíbrio de cada um, né?
beijos
Chris
http://entrefilhoselivros.blogspot.com/

Pri disse...

Oi Camila.
Infelizmente perdi ontem sua entrevista, era justamente o horário de futebol e natação das criancinhas daqui!!!
Enfim, eu li hoje a matéria. Aqui em casa é como ai. Eles amam um chocolate, uma bolacha recheada tbm. Mas não tomam refrigerante, amam de paixão milho cozido sem sal, tomate cereja, bócolis (que tbm chamam de arvrinha) e muitas outras coisas...
O meio termo, como já disseram ai em cima, é a bse de tudo!!
Um beijo!!!

Vanessa Caubianco disse...

Camila, obrigada por sua contribuição no LÁ EM CASA de ontem. Foi demais!!!
Tem selinho pra vc lá no mamydegemeos!
Beijos

Dani disse...

Camila, entrei no seu blog hoje meio que por acaso, mas me apaixonei por ele... Amei o seu jeito de escrever, sua história, seus quase trigêmeos, que delicia de blog, virei seguidora e fã.
Também sou psicologa, mas ainda não sou mãe. Sonho em ter gemeos, mas... acabei de fazer uma fertilização in vitro mas não engravidei, agora estou esperando para fazer novamente, enquanto isso vou me deliciano com os blogs.
beijão

Déia. disse...

Oi Camila. tudo bem? conheci seu blog através da Carol e resolvi te conhecer um pouco. Gostei muito do seu blog e concordo que educaçao (alimentar tb) se ensina em casa.
Não tenho nóias quanto a alimentacao do meu filho não. ele se alimenta super bem, come verduras e legumes e um dia ou outro que toma um iogurte ou come um chocolate nao vai ser o fim do mundo.
Bem, espero sua visitinha.
beijos e com calma vou te conhecendo um pouco mais.

Mamãe caprichosa disse...

OI Linda!! É complicado mesmo, mas acho que a educação alimentar é uma das mais importantes!! Fique no meio termo, eu tb tento ficar. Vamos mesclando as comidinhas saudáveis com algumas "porcarias" no final de semana!
Não sei se vc ficou sabendo do Manifesto a favor da maternidade que está rolando na internet!! Eu postei lá no blog! Dá uma olhadinha....é super bacana!!
Bjs
Carla

butecofeminino disse...

Olá, Camila!
Tenho dois exemplos opostos sobre alimentação das crianças: meu filho e meu sobrinho.
Minha irmã e meu ex-cunhado são da área gastronômica, então cozinham muito bem. Meu sobrinho comia de tudo até os pais começarem a se separar e a família mudar de cidade, qd ele tinha pouco mais de um ano. Hoje ele tem 4 e só come pão, macarrão e nuggets, além das guloseimas. Se vc puser um prato com arroz na sua frente, ele entre em desespero e começa a ter uma crise histérica. Minha irmã sofre demais com isso.
Vendo tudo isso, qd fiquei grávida, avisei a toda família q seria proibido dar doces, balas e refrigerante ao meu pequeno. Todo mundo achou um exagero. Durante seus 2 primeiros anos, ele só experimentou e comeu coisas saudáveis. Essa semana, ele completa 3 anos. Odeia refrigerante, mas adora chocolate e docinhos. Nós não deixamos de dar, mas é beeeem controlado: nunca à noite ou durante a semana, sempre somente 1 unidade e coisas assim. O resultado: todo mundo fala q ele é o menino do comercial do brócolis: ama, adora legumes, verduras e cereais...
A gente não sabe se isso é dele mesmo ou da educação. Vamos saber somente no próximo filho!
Parabéns pelo delicioso blog e pela coragem de assumir sua maternidade e se entregar para seus filhos!
Beijos
Sofia

 
Licença Creative Commons
O trabalho Mamãe Tá Ocupada!!! foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - SemDerivados 3.0 Não Adaptada.
Com base no trabalho disponível em www.mamaetaocupada.com.br.
Podem estar disponíveis autorizações adicionais ao âmbito desta licença em www.mamaetaocupada.com.br. Paperblog :Os melhores artigos dos blogs