terça-feira, 29 de março de 2011

Mamãe Galinha

“Ai de quem mexer com os meus pintinhos!” é uma frase já bem conhecida aqui em casa, tanto pela compreensão do seu significado, quanto pelo uso freqüente.

Visualizem a cena da mamãe galinha com os seus pintinhos debaixo das asas, protegidos de tudo e de todos, sempre quentinhos. Não é lindo? Sim, é. Mas só pode ser algo “photoshopado” por aí.

Eu costumo dizer que sou essa mãe, mais até pela graça que a imagem desperta nos meus filhos, porém sei que eu não sou essa mãe, não. Sei mais do que isso: ela não existe, pois é impossível atingir essss objetivos com total perfeição.

*****

Você se cuidou muito e bem durante toda a gravidez, fez um pré-natal nota 10, o bebê nasce e você equipa todos os cantos da casa com álcool gel, instala um piso de vinil branco no quarto do precioso bebê, que obriga todo mundo a tirar os sapatos sujos vindos da rua para que possam adentrar a redoma de cristal preparada ao longo de 9 meses do seu filho. E, um dia, ele fica doente. Cadê? Cadê esses vírus malditos que eu não vi? Essas bactérias que se apoderaram do meu filho, causando-lhe tamanho desconforto?

Ah, o enxoval é um assunto à parte... Tudo anti-alérgico, da maior maciez possível e... de onde será que vêm essas brotoejas terríveis que tomaram conta do corpinho desse bebê?

Intolerância à lactose, alergia à peixe e também à fralda topdelinhamaiscaradomundo, como eu não vi nada disso? Como não previ essas chateações? Onde estava o meu instinto materno que não me avisou que isso aconteceria? Que não me permitiu sentir o “cheiro” de que algo estava errado e poderia causar “danos” ao filho tão amado e querido??

*****

Isso é botar filho no mundo.

A gente acha que tem o controle de tudo, mas as nossas asas nunca parecem ser grandes o suficiente. Pior: elas parecem diminuir conforme a passagem do tempo.

Quer perder o controle total? Matricule a criança na escola. Você prepara o lanche mais saudável, natural e orgânico do mundo e descobre que o seu filho está roubando o bolinho Ana Maria do amigo. Aquele temido, cheio de açúcar e gordura trans...

Daí, você pode até achar que é melhor deixar o filhote em casa com uma babá. E, um dia, encontra o seu filho cantando uma música meio gospel, meio evangélica enquanto brinca. E, em seguida, descobre que a babá cantarola o mesmo repertório durante o trabalho. A babá mais bem recomendada, de confiança e experiente, que puxa o seu orçamento para baixo mensalmente...

Então, talvez pense que o melhor é largar tudo e ficar por conta do filho. Mas, um dia, ele começa a cantar e dançar o “Rebolation”, da mesma maneira que “flagrou” a faxineira que vem só uma vez por semana cantando e limpando os vidros da sala.

Melhor mandar para escola? Sim, talvez.

E o “Rebolation” volta a te assombrar, porém a “culpa” agora é da amiguinha querida, cuja mãe acha a maior graça em ensinar a letra e a coreografia de rebolation´s e afins. Ou, tem que escutar do seu filho que os DVDs da Xuxa são su-per legais. Uma outra amiguinha querida levou o DVD na escola e todos assistiram, se divertiram e gostaram.

Me diz: é justo? Justo com você que tenta controlar 24 horas por dia o conteúdo, o tipo de programa que o seu filho assiste na televisão e a qualidade das músicas que ele escuta?

Justo com você que ouviu “Babies Go Bach” durante a gravidez toda, só investe na coleção “Villa Lobos para crianças” e tem arrepios na coluna diante de qualquer menção à “Galinha Pintadinha”.

É justo? Hein?

Me digam, para onde correr?

Cadê as tão desejadas asas da mamãe galinha???

Compartilhar

30 comentários:

K∂riиє* Smith. disse...

Bem, parece que eu não sou essa tal mamãe galinha, adoooro a galinha pintadinha (ok, no meu caso por causa do português, já que moro em um país de língua inglesa) e não controooooolo tudo-tudo que meu filho de 10 anos faz, sou a favor do free range kids, agora, a-go-ra em se tratando desse lance de rebolation, luan santana, funk e afins dou graças ao meu bom Deus em morar na Irlanda.
Aliás, tá aí, se muda para Europa, parece que aqui existe mais bom senso, sabe assim?

Cientista Mae Mulher disse...

Perguntinha:
Qual o problema com os DVDs da xuxa?
abcs

Carol Garcia disse...

hahahahahahah!
definitivamente eu não sou dessas.
primeiro que eu morro de medo da ave botadeira, logo não me imagino nem me comparo com uma.
rá!
depois que esse lance todo de super proteção, ou de tenar alcançar a dita cuja, me fazem lembrar exemplos de mães próximos que acabaram estragando as crias com tanto zêlo.
sou paranóica sim com algumas coisas, mas as asas? tenho tentado um bom tanto usá-las para ensinar a voar.

bjocas queriditcha!

Paloma, a mãe disse...

Complicado, menina! Já abri mão de querer controlar doenças e tal, mas o consumo cultural é o meu eterno dilema.
Também tenho arrepios a qualquer menção à galinha pintadinha e afins. Mas sei que, na rua (ou em casa, com babás), elas estão sujeitas a isso, sim.
o que faço sempre é reforçar o nosso (bom)gosto e não permitir que estas tranqueiras entrem aqui em casa. Ciça já cantou rebolation (aprendeu na escola particular), mas passou, simplesmente porque não encontrou plateia aqui em casa.
Agora EU dar um CD ou DVD com este tipo de conteúdo para ela? Nunca!
Beijos

chris disse...

Ai, Camila, é assim mesmo!
Isso é botar filho no mundo!

Acho que o mais importante é saber que mundo é esse que a gente botou o filho. Se nesse mundo há rebolations, xuxas e afins, é melhor que o filho seja apresentado a eles. Não adianta esconder. Uma hora ele vai descobrir e se não estiver preparado, adaptado... pode ser desastroso.

O mehor caminho continua sendo o meio termo. Aqui em casa não proibo quase nada. Não fico brava se pego a TV ligada na globo, não proibo telejornais nem novelas. Só fico atenta e não permito cenas fortes de violência. De resto, é melhor que conheçam. Se faz parte do mundo onde o filho foi botado, que ele o conheça bem para saber (e poder!) escolher.

Enfim, cada galinha deve alimentar seu pintinho como achar melhor. E você tem toda razão: é bom estarmos preparadas para pegar nossos pintinhos ciscando por aí. Afinal, todo pintinho sonha em um dia sair do galinheiro, independente de qual galinha for a sua mãe.

Bjinhos
chris e mosqueteiros
Ah, adoro seus posts!!!

Sandra Hellen disse...

Muito bom texto...pura verdade!!
Nossas asas são tão curtas para tantas coisas a proteger!!

Eu e minhas três bonecas... disse...

Kkkkk... Chorando com o bolinho Ana Maria!!!! Carol toda semana leva 1x esse bolinho!!!! Por ela, levava todos os dias!!!!
Isso de Xuxa, Rebolation é o de menos! Qdo chega pelos 5, 6 anos, aparecem perguntas muito complexas, que eu penso: "Quem falou sobre isso com a minha filhinha???"...
Beijos querida!
Amo seus posts!
Gabi
minhas3filhaslindas.blogspot.com

Nine disse...

Obaaaa! Você mudou a configuração dos comentários!!! Por isso estou aqui, rsrsrsrs.

Guria, eu adoro seus textos, mesmo, e adorei este, não poderia ser diferente, né?

Tento não ser controladora, mas a verdade é que acabo sendo e me estressando com coisas que não verdade são de pouco interesse. Dia desses me peguei relembrando a minha gravidez e os primeiros meses da Ísis! Quanto estresse por querer que tudo funcione como um livro do bebê perfeito!

Hj sou um pouco mais realista, ainda que tenha minhas recaídas de vez em quando!

Beijos,
Nine

Grace disse...

Oi, flor!
Decididamente não sou mãe-galinha!
Nunca tive essa paranóia de alcool gel, piso branco, etc. Graças a Deus, meus filhos raramente ficam doentes e não tiveram alergia a nada (ainda...) acho que é o contato da vitamina S (de Sujeira, não exagerada, obviamente)

Outra: ADOOOORO os DVD's da Xuxa!! Cantamos e dançamos os três juntos, e temos do 1 ao 10 (sim, ja tem o 10)

Obvio que já aconteceu comigo: mandava morangos na lancheira da Clara e ela trocava por bolinho e bolacha recheada na escola.

Esses dias cheguei em casa e a Clara cantava: "vou não, posso não, quero não..." e até uns pedaços que eu nem sabia que tinha na canção (?). Toca na rádio que a babá escuta enquanto faz o almoço. Proíbo a babá?? Na escola os amiguinhos também sabem de cor.

Desta maneira decidi: Só me estresso realmente com o que causa risco de vida ou malefício a saúde (eheheheh...brincadeirinha., mas sempre digo pro maridão!)

Agente não controla tudo...ou melhor, a gente não controla nada!! E como na adolescencia tende a piorar...relaxemos...ehhehhe

Beijos, adoro vc
www.vidadequilibrista.blogspot.com

Naiara Krauspenhar disse...

kkkkkkkkkkkkkkk
a do lanche me deu até frio na espinha... rs
mas é assim mesmo, por mais que a gnte tente, nunca vamos conseguir controlar tudo.
bjos

Bobby disse...

num é, menina???
esses dias noah começou a tomar sopa fazendo aquele barulhinho, marca registrada de alguns asiáticos, sabe qual?
aprendeu na escola, diz a mãe.
ai, como sofremos.
adorei, beijos!

Mãe de Duas disse...

Camila, você consegue sintetizar tanta coisa em algumas linhas!
Conforme as crianças crescem, a gente cresce junto com eles e cai a ficha que esse tal controle é apenas uma ilusão de mãe fresca (no sentido de nova).
Prefiro direcionar minha energia para dar carinho e diálogo do que proibir rebolation e Xuxa. Desses dois eu não gosto, já entraram aqui em casa por esses caminhos tortos que vc bem descreveu aí em cima, mas meu medo de criar crianças que vivem dentro de uma bolha é maior, então aceito que são coisas da vida.
Ótimo post, querida!
Bjs
Priscilla

Anne disse...

arrasou na reflexão!
Ca, como tudo nessa vida, eu voto em escolher as batalhas que vale à pena: considerando a maior chance de sucesso...
Lutar contra os resfriados, esquece. Vão pegar, não tem jeito. O máximo que podemos fazer, fazemos, e mesmo assim eles pegam (tenho pensado assim para não morrer de desgosto a hora que ele gripar... entrou na escola, cê sabe)


Agora, lutar contra o rebolation:essa briga é boa e dá para vencer. Não significa que ele não vá escutar, reproduzir e coisa e tal. Mas significa que a partir do meu modelo, de conversas e do que eu "permito" aqui em casa, a formação a longo prazo do gosto dele será de qualidade. veja nosso próprio exemplo, eu cresci ouvindo xuxa, mas fui criada para ser reflexiva, questionadora, interessada... assim hoje tenho total consciência do que é om ou não para meu filho.

Detesto a pintadinha. Aqui em casa não. Vai ouvir na escola, ok. Mas um dia vai ter discernimento (garantido pela educação que recebe) de saber que é um material de qualidade duvidosa...

Assim como a Ana Maria, os DVDs da xuxa e demais porcaritos...

agora, um palavrãozinho aqui e ali, eu permito.... tb não sou um modelo perfeito de galinha!

bjo

Lia Sérgia Marcondes disse...

A asas quebram... Ô se quebram!

Mas, vou te contar: não pensarei duas vezes em dizer pra Luisa, se ela chegar um dia cantando uma música podre destas, que isso é música feia pra criança cantar. Terrorismo, a gente vê por aqui! Muah!!!

Galinha Pintadinha aqui também não rola, porque já me basta a overdose de D Kids. Domingo eu me peguei cantando Backyardigans, enquanto lavava os pratos, com as crianças fora de casa! Oi? Socorro!!

Mas Xuxa nem é tão mal. O DVD 7, por exemplo, ensina brincadeiras legais, que eu repito com ela. Incentiva a criança a brincar mais com outros amigos, fora do circuito TV-JOGOS. Achei super bacana!

E relaxa... Neurose a gente tem (aliás, o último post lá do blog foi bem sobre neuroses... rsrsrsrs), mas adianta nada. Tô tentando relaxar também, e tentar seguir o "plano".


Beijocas!

Alessandra disse...

Oi Camila...

Ainda bem que nossas asas não são grandes o suficiente, caso contrário, elas impediriam nossos filhos de crescer...não é mesmo?!
Também sou psicóloga, mãe de dois meninos e me identifico muito com tudo o que você escreve! Parabéns pelo blog!

Mamãe da Elô disse...

Olá Camila,

Meu ultimo post foi + ou - sobre isso. Também acredito que é pura ilusão acharmos que teremos controle 100% dos nossos filhos e proibi-los de tudo. Deixo a Eloise a vontade com bom senso, sem descuidar é claro. Quanto as musicas ainda não cheguei na fase dela trazer para casa o que aprendeu na escola, só vejo as dancinhas que ela faz, mas procuro selecionar o que quero que ela ouça.

Milenna disse...

Simplesmente não tiraria nem uma virgula desse post, pois parece que foi escrito por mim.rs
Julia que fez 6 meses ontem, pegou seu primeiro resfriado há 2 semanas e fiquei arrasada.
Mais aqui em casa a galinha é permitida com cautela; apenas 1 vez por dia.rs
Realemente, seria um sonho ser uma "mamãe galinha"!
Bjos.

Lia disse...

É complicado mesmo achar o balanço entre proteger e, ao mesmo tempo, permitir que eles sejam autônomos. Mas com muito amor e pedindo sabedoria a Deus, a gente dá o nosso jeito. Que não vai ser perfeito, como não foram perfeitos os nossos pais.

Mari Hart disse...

ahuhuahuahuhuahauh... vc definiu perfeitamente o que é a maternidade! É isso tudo e mais um pouco!

Sabe que chamo meus filhos de pintinhos mas nunca parei p/pensar que eu teria que ser uma galinha p/isso!? rs...

Bjão!

Juliana Ramos disse...

Concordo com a sua visão da maternidade. Mas acho maravilhoso não ter controle sobre TUDO (tirando os vírus).

Nunca vi a tal da Galinha Pintadinha, mas a Xuxa já foi, e ainda é hit aqui em casa, e chamo isso de DIVERSÃO... nem tudo na vida tem que ser educativo, pode ter só pura diversão, e nisso, acho que a Xuxa é rainha!!! (juro que nunca quis ser paquita...rsrsrs)

O gosto musical dos pequenos, a princípio, é exemplo dos pais. Meus filhos curtem Beatles, Lulu Santos, Jack Johnson... mas se estão numa festa e toca um Rebolation, dançam numa boa e entram na brincadeira... E acho isso muito saudável!!!

Sei que foi só um exemplo, e que o texto diz muito mais do que isso (e adorei!)

Mas sinto informar que qdo eles crescem essa falta de controle tbém cresce absurdamente!!!

Só vivendo que a gente aprende... e com eles!!!

Bjinhos

Renata disse...

Heheheh Muito bom o seu post! O mais legal é a diversidade de opiniões! hahahah

Eu, por exemplo, não me importo com a Galinha Pintadinha ou Xuxa... meus filhos são crianças e esse tipo de música é feito para crianças,... Gosto tanto quanto colocar as músicas (que amo) de Vinícius de Moraes e Toquinho,... e eles também gostam! Tens que ver o amor que é quando canto "Aquarela", fazendo a interpretação da música, eles tentam imitar,... uns amores...

Acho que tudo o que for apresentado com moderação, não tem problema não... O que eu critico sim são as novelas, programas como BBB, e outros que não tem um conteúdo próprio para crianças (como sexo, traição, mentira - fazem parte da vida e da realidade, mas não para a idade deles)...

Quanto à alimentação na creche,.. minha amiga,... aí você vai babar: lá é tudo integral e tudo o que conseguem comprar de alimentos orgânicos, elas utilizam no cardápio dos baixinhos... Fico super tranquila porque sei que eles comem muito bem (tanto em quantidade, quanto em qualidade)...

Mas é isso aí, temos que prepara esses pintinhos para a vida,... Podemos apresentar o que tem de bom, mas não tem como evitar tudo o que talvez não seja, para nós, o melhor e o mais indicado.
Bjos

Ilana disse...

Desapego. Botar filho no mundo - e na escola, como estou aprendendo agora - é o maior exercício de desapego possível imaginário.

Não tem jeito, tem que relaxar e aproveitar as coisas boas que vem junto com as tortas.

Beijos

Sara Lima Saraceno disse...

Ainda bem que eu nunca me iludi... mesmo sendo uma mãe de primeira e única viagem (pelo menos por enquanto), como eu já imaginava que certas "preservações" da criança não iriam adiantar, deixei pra lá...rsrsrs!
Eu procuro manter a minha rotina dentro de casa, dar o exemplo do que eu acho legal, mas, se minha filha subir do play cantando e dançando um pagodinho, vou fazer o quê?? Melhor até registrar o fato para depois, no futuro, mostrar para ela...hahahaha!
Bjão
http://vivendoavidacomoelaeh.blogspot.com/

Raquel disse...

Oi Camila, concordo com vc...Cade nossas asas? hahaha
Sexta tive que "engolir" uma mãe que mandou para a escola refrigerante ao invés de suco para a festinha dos aniversariantes do mês.
E desde sexta "ensaio" um post sobre isso. Pq o aasunto rendeu.
Hj vou postar e mais inspirada ainda pelo mamãe tá ocupada. Veja lá. ok?
Bjs, Raquel
www.mamae24h.blogspot.com

Ananda Etges disse...

O Vítor nem nasceu, mas minha mãe já me avisou que comprou o DVD da Galinha Pintadinha pra ele! Viu só, as vovós também "estragam" os pequenos!

Beijos, Ananda.

http://projetodemae.wordpress.com/

Dione disse...

Aqui é assim: se não passa pelo controle de qualidade de pai e mãe não é oferecido por nós. Mas decidimos de comum acordo que não vamos ficar estressados se toca na escola, na festa da amiguinha, se tem na casa da avó. Não posso interferir no gosto dos outros. Só posso tentar dar uma educação bem sólida para que ela possa filtrar o que é legal e o que não é. Tem dado certo.
Beijos!

Bianca disse...

Camila, vc aguarde pq o pior estápor vir com as crianças mais velhas,menina!!! E nada de babá não, escola, vizinho do condô, primos, enfim... eu estou passando por uma fase mega complicada com tudo isso, estou sempre em alerta, mas não é fácil não quando o nosso "bebê" de 6 anos cantarola uma versão bizarra de uma música do Justin Biber, que ele nem sabe o que significam metade das coisas...
beijos, seu blog é ótimo
Bianca

Sarah disse...

Verdade Camila. Eu já fui beeeem desse modelo, queria deixar Bento debaixo da asa o tempo todo. Mas a gente vai aprendendo que não tem mesmo controle de tudo e não dá para deixá-los em uma redoma. Colocar filho no mundo e ensiná-los a viver inclui doencinhas, riscos, sustos... por mais que a gente sofra!
bjocas

Roteiro Baby disse...

AMEI esse post!
Li no dia que saiu, mas só tive tempo de voltar aqui para comentá-lo hoje.
Parece ter sido escrito por mim.
Sou mãe de primeira viagem... minha filha só tem 5 meses e vivo me decepcionando com o FATO de não conseguir prever tudo, não ver tudo dando certo como eu me iludi achando que daria pelo simples fato de eu ter me dedicado para dar...
Tenho aprendido muito com essa constatação...
ADOREI suas reflexões...
www.roteirobaby.com.br

Super Mãe disse...

Acho que as crianças devem conhecer de tudo para que mais tarde não se sintam alienadas... Agora, o melhor é os pais apresentarem para as crianças o melhor. Conversar com os filhos é essencial para que eles entendam o que é saudável e o que não é. Acho que proibir é muito pior, mais tarde eles vão querer só porque é proibido... Não vejo nada de mais na Galinha Pintadinha. Xuxa para baixinhos também é bom. Agora rebolation - peloamordedeus

 
Licença Creative Commons
O trabalho Mamãe Tá Ocupada!!! foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - SemDerivados 3.0 Não Adaptada.
Com base no trabalho disponível em www.mamaetaocupada.com.br.
Podem estar disponíveis autorizações adicionais ao âmbito desta licença em www.mamaetaocupada.com.br. Paperblog :Os melhores artigos dos blogs