sexta-feira, 11 de março de 2011

O sonho de uma mãe

Eu não tenho opinião muito formada com relação à existência ou não do instinto materno. Mas, é interessante notar que às vezes ele se manifesta.

*****

O meu vizinho de cima tem um bebê recém nascido. Quer dizer, acredito que seja RN pela freqüência e tipo de choro que eu tenho escutado ultimamente (olha aí, um pouquinho do instinto já dando as caras...).

Mas, teve uma noite em que o bebê chorou muito mesmo. E eu, naquela situação meio acordada e meio dormindo, quase na vigília acompanhando e aguardando o próximo choro do bebê (instinto! Instinto!), tive um sonho super longo e real com aquele bebê.

Sonhei que o bebê era meu, o meu quarto filho, ou melhor, filha. Ela chorava e eu cuidava, fazia massagem na barriguinha, pois ela tinha cólica, levava para a minha cama, ou seja, cuidados mil.

Acordei meio atordoada, devido à intensidade e a realidade do sonho. Quase saí para procurar a minha filhinha recém-nascida.

Mãe é mãe, né?! Mas, às vezes questiono mesmo a existência do instinto. Se eu não tivesse filhos e ouvisse o choro de um bebezinho a noite toda, teria tido o mesmo sonho?? Muito provavelmente, não.

E aí, o que vocês acham? Alguém se arrisca? Freud certamente explica...

Compartilhar

27 comentários:

Ivana (Coisa de mãe) disse...

Camila, nunca duvidei da existência do instinto materno. É ele que provoca tantas mudanças na nossa vida, no nosso modo de pensar, de olhar o mundo e faz com que a gente realize coisas inimagináveis. Tá tudo relacionado. Quando a gente vira mãe, tudo muda, inclusive os sonhos,rs!

Bjocas!

Ivana

Sarah disse...

Com certeza, Camila. Também tenho vizinhos com criança, inclusive um RN no andar de cima. Nunca o vi, mas reconheço como RN pelo tipo de choro. Quem já passou por isso sabe né! O instinto realmente nos traz essas lembranças. Dá uma vontade de ir lá ajudar...
bjos!

Renata disse...

Eu acredito no instinto materno, mas acho que ele só aparece quando é estimulado (no caso, quando nasce nosso filho ou temos alguma experiência muito íntima com crianças). Eu me considero uma mãe bem instintiva mesmo que esteja sempre em dúvida se estou fazendo a coisa certa, rs. Mas antes de ser mãe, nem imaginava saber e ser capaz de tanta coisa que sei/sou hoje. E se não tivesse filhos provavelmente nunca "ligaria" esse meu lado materno.
Beijos!

Renata disse...

Nossa, chorinho da recém nascido dá uma agonia, né? Da vontade de correr e tentar resolver o problema logo. Fiquei aqui pensando e não sei se ficaria tão agoniada antes de ter filhos...mas não sei, será que eu acharia chato? incômodo? sei lá...
Sei que mãe é mãe e agora a gente quer logo acabar com o choro...rs!
beijos

Renata disse...

Acredito tbm no estímulo desse instinto, sem dúvida! Falo por mim. Eu nunca fui aquela pessoa que SEMPRE SONHOU EM SER MÃE. Eu às vezes cogitava a possibilidade, depois descartava, queria viver livre/leve/solta/folgada. Até que conheci meu marido e, juntos, amadurecemos. Eu amadureci a ponto de desejar intimamente extender meu coração para fora do corpo, e assim foi. Veja, ele nao me CONVENCEU, ele apenas me motivou. Acredito que antes disso eu era totalmente alheia ao tal 'instinto'. E hoje, grávida, ele tem dado as caras aos poucos... A pergunta é: Ele aparecerá mais forte quando Heitor nascer? Veremos... ehehehehe.,

Thaís Rosa disse...

putz, antes de ter filhos eu diria que não... mas hoje, vejo manifestações desse "instinto" mesmo em amigas que não têm filhos ainda... mulheres que estão beirando ou já passaram dos 30 e, mesmo que não queiram ter filhos, dizem ter sentido o tal instinto bater na porta em algum momento... sei lá né, alguns pensadores diriam que é social, culturalmente construído... mas eu senti o tal instinto se manifestar em mim (parece coisa de pai de santo isso! rá!), e por isso acho que existe, sim!
(e acho que eu teria tido sonho idêntico ao seu...)
beijo!

Genis disse...

Com certeza, e depois que somos mães daí as coisas mudam mesmo.
Bjks.

Carol Garcia disse...

acredito super no isntinto materno.
é um dos nossos super poderes.
e ó, até me policio pra que o meu seja ouvido atentamente.
bjocas

Naiara Krauspenhar disse...

Antes de ter filho eu não tinha a menor (leia: nenhuma) afeição por bebes...
Era aquela pessoa que não conseguia nem pegar um bebe no colo. Sempre pensei que nunca daria conta de ser mãe. E pra falar a verdade eu nem tinha muita vontade.
Quando engravidei pensei comigo:
E agora? Fudeu.
Mas é uma coisa mágica!
Hoje eu me vejo com a GG, os nossos momentos, e em nada eu lembro aquela pessoa.
Quando vejo um bebezinho pequeno já imagino meu segundo filho.
Quando penso na casa que quero ter só penso em muitos quartos e muito jardim... rs
Se isso é instinto materno eu não sei, só o que sei é que ser mãe me transformou.
Bjoooo

Juliana Cidade disse...

Não sou Freud, mas acho que você está com muitas saudades de ter um bebezinho em casa. hehe
Bjs,
Juliana.

liasergia disse...

Acho que você está querendo ter mais um. hahahahaha (Brincadeirinha... :P)


Beijocas!

Mãe de Duas disse...

Acho que se vc não tivesse tido filhos não teria o mesmo sonho.
A mente mistura nossos sentimentos mais intensos nesse tipo de sonho, e para uma mãe é o cuidado, arrisco a dizer até o desespero de ir cuidar, identificar e cessar o choro. Acho que é uma coisa que está catalogada num lugar diferente das ações conscientes. Seria o subconsciente puro instinto?

bjs
Priscilla

diiirce disse...

Não acredito muito no instinto inato. Acho que a mãe vai desenvolvendo seu instinto de acordo com a dedicação que ela tem. Vejo mta mãe sem instinto nenhum p cuidar dos seus. Nasceram sem? Não desenvolveram? Como vc disse, Freud explica... Ou não!

Jokas da Mi

Beta, a mãe disse...

Vixi Camila, essa coisa de escutar comigo não funciona mesmo, meus ouvidos não são a melhor coisa do mundo, mas eu concordo com você de que se não tivesse filhos, nem teria escutado o nenê chorando. Que sonho real hein? Sabe que eu quase nunca sonho algo "concreto"? Meus sonhos são um monte de informações juntas e uma maluquice sem tamanho! beijos

Di disse...

Oi Ca, tem muito esse negocio de instinto sim. Pra algumas, como eu, aparece ate antes de ter filhos.
Quando fui visitar minha irmã quando ela morava em Barcelona o vizinho dela tinha um bebe pequeno. Enquanto ela e a esposa se descabelavam por causa do choro constante, incomodadas, eu conseguia identificar o tipo de choro, se era sono, fome, etc. Na epoca eu era uma treinante então ja estava com os instintos a flor da pele. rs e fato!

Ananda Etges disse...

Meu vizinho tem um bebê de 10 meses. Ele acorda toda noite por volta das 3 da madrugada. Eu levanto no mesmo horário, acabou virando meu horário regular de ir no banheiro (fase final da gravidez). Fico ouvindo aquele chorinho e já me preparando para o que vem pela frente!

Sobre o instinto... acho que existe sim, mas só desperta quando a gente vai ser mãe.

Beijos, Ananda.

http://projetodemae.wordpress.com/

Ísis Rocha disse...

Instinto materno é o que me tranquiliza muitas vezes diante da vida. Sei que ele ai sempre dar um empurrãozinho pra nós,mães, estarmos presentes e/ou alertas a coisas que estão acontecendo ou vão acontecer com nossos pequenos. :)

Mari Hart disse...

Eu acredito 100% no instinto materno! Se não fosse ele, capaz do meu leo nem estar aqui hj. Sabe que tenho sonhado que tenho um RN?! Eu hein... tô fora! hahaha... (pelo menos por enquanto!)
Bjkas!

Livia, mãe da Carol disse...

Eu acredito sim, Camila. E acredito que muitas mulhes já o possuem mesmo sem ter filhos. Com o nascimento do filhote ele parece mais real. Beijos!

Alexandra disse...

Oi Camila

Que belo trio! Acho que acredito sim no instinto materno, mas só depois que os nossos próprios filhos nascem (aí ele nasce junto).
Bjs
Alexandra
www.destemperadinhos.com

Gleice disse...

Com certeza existe instinto materno!
Bastou a vizinha da frente ter bebê e eu engravidar que passei a ouvir o chorinho dele de madrugada!
Hoje então, com o meu pitoco, basta ele chorar numa multidão de outros bebês pra saber que é ele.

Chris Ferreira disse...

Oi Camila,
eu acredito sim no instinto materno. Já acordei várias vezes durante a noite sonhando que uma das minhas filhas estava doente e quando fui ver elas estavam com febre.

Eu vou para São Paulo no dia 08/04, sexta-feira, vou chegar por volta das 19:00 e fico até segunda. Volto para o Rio pela manhã. Vou ficar aí o sábado e o domingo. Será que rola um encontro? Eu ia adorar conhecer vocês.

beijos
Chris
http://inventandocomamamae.blogspot.com/

Nine disse...

Oi Camila, tudo bem?

Faz tempo que acompanho o seu blog mas não consigo deixar comentários nele devido a um erro que o formulário de comentário incorporado, principalmente com verificação de palavras (aquele logo abaixo da postagem) dá em algumas versões do Internet Explorer e Firefox.

Entrei em contato com o blogger e verifiquei em fóruns sobre o assunto que o problema é comum, mas ainda não tem solução. A única maneira de conseguirmos comentar é o blog alterar a configuração dos comentários para página inteira ou janela pop up.

No início pensei que fosse um problema apenas meu, mas depois verifiquei que assim como eu, muitas outras pessoas podem não conseguir comentar no seu blog, por isso resolvi te avisar.

Se puderes alterar as configurações dos seus comentários eu e outras pessoas poderemos participar dele!

Um beijo!
Nine

Nat disse...

Não teria mesmo!
Se vc não tivesse filhos teria sonhos reclamando do barulho e tentando esquecê-lo. Como eu fazia com o meu vizinho de zima, um adoravel-not menininho que adora correr pelo apartamento, arrastar móveis e derrubar coisas no chão! Antes eu só pensava em reclamar do barulho. Agora eu penso na pobre criança e nas brincadeiras que os pais podem estar fazendo.

Beijo
P.S.: Mas já pensei em me dispor, dar conselho ou dizer pra um vizinho não seguir Ferber.

Beca Bricio - Mulher que pariu disse...

Camila,
eu nunca me imaginei mãe! Meu marido na época namorado sempre me perturbava dizendo que ele queria um filho e blabla e eu achava esse assunto um porre! Engravidei e pensei: Será que eu darei conta, será que eu acordarei quando ele chorar? Será, será, será!!! Claro que sim!!! Antes mesmo dele acordar eu já sinto que ele vai despertar e ao abrir os olhinhos eu o abraço e digo que o amo, e ele sorri! Sei quando ele quer mamar de madrugada pelo simples fato dos seios latejarem.
Eu acredito e sinto o instinto materno e hoje sei que nasci para maternar!

um bjão e adorei teu sonho

Flavia disse...

Camila,

no meu caso, a maior consequencia da maternidade é que parece que virei mãe não só do meu filho, mas de todas as crianças do universo. Não consigo ser indiferente a um bebê que chora, a uma criança que sofre, (as felizes tambem!). Claro, que com 3 anos de pratica ja aprendi a me controlar e não me meter aonde não sou chamada... E acho que você mandou bem demais resolvendo esse problema no sonho. (hehehehe)

bjs

Glauciana disse...

Camila, nunca tinha pensado por esse aspecto. Realmente, faz todo o sentido. Eu acho que até devemos ter o instinto, mas ele fica exacerbado quando nos tornamos mães.
Ou em outras situações, quando estamos grávidas, tudo de gravidez nos chama atenção... enfim, boa pergunta!
Beijão.
Glau
@BlogCoisadeMae

 
Licença Creative Commons
O trabalho Mamãe Tá Ocupada!!! foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - SemDerivados 3.0 Não Adaptada.
Com base no trabalho disponível em www.mamaetaocupada.com.br.
Podem estar disponíveis autorizações adicionais ao âmbito desta licença em www.mamaetaocupada.com.br. Paperblog :Os melhores artigos dos blogs