quinta-feira, 5 de maio de 2011

QUEM QUER FALAR DE SEXO??

Os meus filhos já parecem ter entendido um pouco sobre alguns funcionamentos do corpo humano.

Vejam só: quando comem, sabem que a comida vai parar na barriga.

- “Olha, Mamãe, a minha barriguinha tá cheia de brócolis!”

(Ok, essa fala é meio mentirosa, ninguém eeeeeenche a barriga de brócolis, mas eles entenderam parte do caminho que a comida percorre, ok?).

Isso parece até meio besta, mas quem disse que a gente nasce sabendo para onde vai a comida? Porque a barriga e não a cabeça? Ou o pé? Isso é a nossa lógica, pensamento de adulto, definido como “pensamento operacional formal” pelo Piaget. Mas até chegarmos nisso, podem acreditar que foi um longo percurso e processo, coisa que não se atinge do dia para a noite.

Outra coisa que eles já entenderam é que quando a barriga fica enoooorme, tem um bebezinho lá dentro, portanto a mulher está grávida e vai nascer uma criança.

Os três têm brincado de ficarem “grávidos”, colocam bonecas e bichinhos de pelúcia debaixo da camiseta e saem falando que têm um bebê na barriga. (Obviamente, tenho explicado bastante que só as mulheres ficam grávidas, mas brincar, simbolizar e fantasiar faz parte dos processos de conhecimento da infância, portanto não vejo mal nenhum os meninos fazerem esse tipo de brincadeira).

A comida ir parar na barriga e a barriga grande por estar grávida são duas coisas separadas nas cabecinhas dos meus filhos, já pude notar. Ninguém acha que se comer brócolis, vai ficar grávida de brócolis e nascer um bebê-brócolis. São dois processos diferentes, eles entendem isso.

Agora é que vem o problema. A comida vai parar na barriga, porque comemos, mas e o bebê? Como vai parar lá dentro? E como sai? O que a gente responde quando surgirem essas perguntas difíceis e cabeludas? Quando elas surgem? As crianças estão cada vez mais precoces e “antecipadoras” das fases do desenvolvimento, principalmente quanto às curiosidades e a argumentação toda...

Na teoria, eu sei responder, mas na prática, acho que vou ficar branca de nervoso e de dúvida e, depois, roxa de vergonha de tocar nesse assunto e ter que ficar dando explicações. (Sim, tenho pudores, dificuldades e constrangimentos!).

E aí? Quem pode ajudar levanta a mão e capricha no comentário, please! Tenho certeza que a blogosfera materna inteirinha agradece!!

*****

Para descontrair, assistam o programa Lá em Casa da Vanessa Caubianco do dia 03/05/2011 sobre o que acontece com o casamento depois do nascimento dos filhos, Aqui, ó!

Compartilhar

29 comentários:

Marina disse...

Camila,
eu tb acho o assunto delicado para tratar com crianças, ainda mais as pequenas! Confesso que não saberia o que falar...

Naiara Krauspenhar disse...

Ai, ai, ai... a resposta eu passo.
Porque também não faço a mais remota idéia do que fazer quando chegar a minha hora.

Mas deixo meu apelo junto com seu:

"Quem tiver dicas, capriche no comentário que a mamãe aqui também agradece"

hehehe

BJos

Mari Hart disse...

huhuauauhuha... aqui ainda não rolou como entra não, só como sai! E sinceramente para a idade deles nem sei como responder! rsrs!

Eles sabem que saíram da minha barriga que o médico cortou e que a irmã saiu da perereca! ahhahaha... e basta por enquanto!

Ai meu Deus... depois vou voltar aqui só p/ler os comentários!

Bjos queridona!!!

MeL disse...

Sabe que eu tinha preocupações com esse tema, e fiquei surpresa quando a escola se adiantou a mim... eles aprenderam na escola, e eu curti muito a forma como foi... Teve um teatro, a peça chamava Cegonha boa de bico... E a obviamente sem nenhuma sensualidade eles contaram exatamente como acontece... Eu até fui ver a peça depois, pra ver como era, porque eles ficaram bem informados mesmo... hahahah Eles mostram o pai e a mãe juntos, tão juntos que o pai consegue colocar uma semente na barriga da mamãe, porque quando o homem ama muito a mulher, isso acontece.. rsrsrs ( não é só nesse caso, mas curti que eles cresçam achando assim...rs) E essa semente é que se desenvolve e faz o bebezinho crescer...

Bom, não sei explicar exatamente tudo... hahahah mas foi mais ou menos isso!

Mãe de Duas disse...

Eu acho que é aos poucos que a gente vai falando desse assunto. Quando são muito pequenos, falar que o nenê fica na barriga até estar pronto para sair como você fez. Depois ir explicando como sai da barriga (sem traumatizar, né?). O difícil mesmo é explicar como entra... Daí depende das crenças e princípios de cada um. Acho que a história que o papai colocou uma a sementinha na mamãe é válida, mas que bebês nascem em repolhos é viagem demais.
Bj
Priscilla

Mamãe disse...

Olá Caimla, tudo bem?
Acredito que os questionamentos virão no tempo certo, o importante é tratarmos o assunto com naturalidade e seriedade para que não fique banalizado. Acho maravilhoso o diálogo entre pais e filhos, diferente de tempos antigos que haviam muitos "tabus" sobre esses temas e o assunto era proibido dentro de casa.
Beijos

Sara Lima Saraceno disse...

Bom, aqui em casa, por enquanto, tá fácil!! Como nós temos religião, somos católicos praticantes, eu disse a minha filha que Papai e Mamãe queriam muito uma filhinha, aí, nós rezamos e pedimos a Papai do Céu que nos mandasse um bebezinho e Ele colocou ela na minha barriga, para crescer e poder nascer. rsrsrs!
Mas, no futuro, pretendo lidar com as tais perguntas cabeludas da forma mais natural e tranquila possível, dando os detalhes na medida em que forem sendo solicitados...rsrs!
Bjus
http://vivendoavidacomoelaeh.blogspot.com/

Dayane Cavalcante disse...

Oi!!Vi seu post aparecendo no blog de uma colega e não resisti ao titúlo!Há algum tempo escrevi um post sobre esse assunto no meu blog: http://aprendendocomolevi.blogspot.com/2011/03/de-onde-vem-os-bebes.html
Tá certo que meu filho só tem 8 meses, mas fiquei em uma saia justissíma com minha afilhada de 6 anos, e comecei a pensar e pesquisar como falarei sobre esse assunto com o Levi!!
Bjos!!

marta.haddad disse...

Na verdade é mais fácil do que se imagina. Diga o nome certo dos orgãos e explique tecnicamente, mas de maneira que a criança entenda. Se possível arrume um desenho bem simplificado, assim fica mais fácil ainda.
Só explique exatamente o que a criança perguntar.
O pior é após os 10 anos, quando a criança descobre que sexo não é só pra ter filhos, e começa a questionar nosso passado, aguardem, rssss!
bjs

Mariana disse...

Ai Camila, eu acho que o negócio é não complicar demais...
É tipo: "quando o papai e a mamãe querem um bebê, eles se abraçam bem forte, pq se gostam muito, e o papai coloca uma sementinha dentro da barriga da mamãe, que vai crescer e virar um bebezinho".

Se eles peguntarem por onde entra a sementinha, acho q temos q seguir algo do tipo: "o papai coloca a sementinha pelo buraquinho do xixi da mamãe, pois é mais perto da barriga e fica mais fácil da sementinha chegar lá".

Eu acho q isso deve satisfazer a curiosidade inicial e dar um tempinho pra gente sair correndo procurar um livrinho cheio de figuras pra mostrar pra eles.... rs

Mariane disse...

Que tal o modo alemão de explicar de onde vêm os bebês? (Eu acho tosquíssimo, mas vai que alguma mãe se empolga...): http://nandapiovezani.blogspot.com/2010/06/sutilidade-alema.html

Abçs,

Mari

Juliana Ramos disse...

Ontem, antes de dormir comecei a assistir, mas não terminei, vou terminar hoje!!!

Sobre o papo de sexo com os filhos, só sei responder o que dizem em todos os livros e revistas... funcionou comigo:

Responder só o que eles perguntarem, nada além.

Não vou dizer que é fácil, que a gente não fica vermelha, mas como eu sou bem cara de pau, consegui disfarçar e fingir que a conversa era normal...
Mas o fato é que falar sobre o pênis do papai entrando na vagina da mamãe naturalmente com uma criança é BEM complicado.

Mas se a gente conseguir ser natural, eles vão achar natural tbém...

O problema é qdo vira TÃO natural o assunto, que eles viram no meio de um sala cheia de gente e falam:

- Sabia que o meu pai colocou o pinto na vagina da minha mãe e ela ficou grávida e eu nasci?

Bjo

Coisas de mãe disse...

Acho que é sempre inseperado. Já tive que falar várias vezes com o PEdro, algumas vezes foi mais natural e fácil do que imaginava outras não. Jea comprei livros que achava que ajudariam e não ajudaram e outros que foram ótimos. Vou ver o nome e depois digo (Talvez até já tenha escrito no blog, não lembro). Mas para falar a verdade, a maior parte das conversar e da curiosidade dele é BEM técnica e não tinha a ver com sensualidade e sim com "sistema reprodutor".

bj

PS Quero ver como foi a voncersa, vou tentar acessar agora!

Pati

Beatriz Zogaib disse...

Camila, escrevi sobre isso dias atrás. O post é "Quando começam as perguntas", dá uma lida porque ilustra algumas situações que ouvi e que vivi... Também penso nisso!
E boa sorte quando as perguntas começarem por aí!
beijos
Bia
www.vidadamami.blogspot.com

Beatriz Zogaib disse...

Ah, não esqueci de responder a pergunta não... É que acho que não há resposta! Só passando pela situação para saber.
Até
Bia
www.vidadamami.blogspot.com

Bianca disse...

Oi Camila!
Puts, assuntinho difícil mesmo...Eu além de não ter a resposta certa - meu filho nunca fez essa pergunta claramente, me vejo com um MONTE de dúvidas para explicar para ele várias coisas que ele pergunta, algumas super cabeludas no alto dos seus 6 anos...A gente pensa que é moderna, descolada e "jovem", mas na hora de dar uma resposta dessas eu queria até ver minha cara pq eu fico super sem graça!!!
Vc ainda tem um tempo, aguarde os 5, 6 anos dos meninos, afe!
beijos, ótimo post

Priscila disse...

Quando eu tinha quase 6 anos, eu tinha uma amiga que já sabia ler e que me disse que a irmã dela tinha uma livro chamado "De onde vêm os bebês". O que eu mais queria no mundo era ler esse livro e descobrir, com meus próprios olhos, o segredo. Mal comecei a decifrar as primeiras palavras, lá fui eu pedir emprestado o livro pra amiga. E esse foi o primeiro livro que li na vida. Nem sei quantas vezes. Acabava de ler e começava de novo.
Recentemente, encomendei o livro pela internet. O mesmíssimo livro! Para quando, inevitavelmente, meus filhos vierem com a perguntinha básica...
Beijo.

Gleice disse...

Oh, eu trabalho em creche e no ano passado, quando eu estava grávida, meus alunos de 3 anos me perguntaram como é que o meu bebê ia sair da minha barriga.
Eu usei a mesma lógica do cocô e falei assim:
- Onde é que o cocô mora?
- Na barriga.
- E o bebê da Gleice? Mora a onde?
- Na barriga também.
- Então... pro cocô sair não dá uma dor de barriga, a gente faz força e ele sai? Com o bebê é a mesma coisa. A Gleice vai sentir uma dor na barriga, vai fazer força e o bebê vai sair.

E eles entenderam e nunca mais perguntaram.

Um conhecido meu disse que era pra ter respondido assim: que eu iria ao médico, ele ia cortar a minha barriga e iria tirar o bebê (não usei essa explicação porque não queria cesárea - apesar de ter tido uma).

Mas não sei te responder sobre o contrário (como é que o bebê entra) porque não me perguntaram isso e porque eu ainda não formulei uma resposta.

Caso pense em algo eu posto.

Bjo.

manu disse...

Como mãe de tres homens e avó ,tb de tres paixões,eu diria que as respostas deveriam ser aquelas que vcs,mães,gostariam de dar aos seus filhos e não a que eles gostariam de ouvir.
Resumindo:O que vc quer realmente que seu filho saiba a respeito desse assunto?Tudo?nada?Só um pouquinho?Então...conte a ele o quer contar,e encerre o assunto!!!bjo carinhoso

Fabiana disse...

Rá!! Me enrolei total também quando a Júlia do alto dos seus 3 anos me veio com essa pergunta... na boa, achei que ia levar - pelo menos - uns 6 anos pra ter que ouvir essa. Mas não... eis que na ocasião, a gente morava na sogret's e como ela é psicopedagoga e orientadora sexual... passei a bola (sem pensar twice). Ela foi reta, direta e objetiva como qualquer outro assunto "da vida" deve ser tratado com os pequenos. E para ilustrar a conversa (que eu preferi nem participar!rsrsrs) ela deu de presente para a Juju um livro super bacana "Sexo Não é Bicho-Papão" que vem até com um cdzinho de música. http://www.livrariacultura.com.br/scripts/cultura/resenha/resenha.asp?nitem=2490222&tknOrigem=1&tknSearchIdLog=4063791&tknRanking=1&sid=9722051891355558496398774&k5=28DB156E&uid=

Ah! Acho válido complementar trazendo algo que minha mãe - psicóloga - acrescentou... é importante respeitar o momento da criança. Ou seja, esperar para responder as perguntas e não se antecipar a elas. Se a resposta que der (seja qual for) bastar não precisa se estender.
Fica a dica!! E boa sorte... pq agora eu ainda tenho mais um ano e meio até a caçula perguntar. Espero. Ornamentada fica mais fácil! Rá!!!
beijos

Fabiana
http://2-ao-quadrado.blogspot.com

Elaina disse...

Como meus meninos são pequenos nunca tinha pensado nisso, apesar de também saberem que a comida vai pra barriga e o bebê tb fica lá.

Tb tenho meus constrangimentos, e acho que qdo chegar a hora vou apelar pro maridão, argumentando que como são meninos, o pai deve ensinar…

Bjs

Elaina
http://www.vidademae.net/

Mirys + Guigo + Nina disse...

Camila:

Senta e se prepara, amiga!
Eu já expliquei o processo pros meus pequenos (manual de instrução - módulo 1 - "a tal sementinha do papai"). Ninguém perguntou "como" e ficamos por isso mesmo! rsrsrs

Ah! Amanhã tem blogagem coletiva ("por que eu tenho um blog?") e seria muito legal se você também participasse! Passe lá no Diario e pegue o selinho da blogagem!

Bjos e bençãos.
MIrys
www.diariodos3mosqueteiros.blogspot.com

Roberta disse...

A resposta da Mariana é bem adequada para crianças pequenas:

"papai coloca uma sementinha dentro da barriga da mamãe, que vai crescer e virar um bebezinho".

Se eles peguntarem por onde entra, a resposta tem que ser objetiva: pela pepé (vagina) e por onde sai, pela barriga mesmo, no meu caso.

Esse livro "De onde vem os bebês" é lindo. Ilustrado com uns recortes muito delicados. Eu li, reli e recomendo.

Pinguinho da Mamãe disse...

Oi, Cá.
Nossa, como professora de Ciências e Biologia, encaro isto numa boa, respondo com sinceridade, sem mentir, utilizando as palavras e nomes corretos. Tudo muito fácil, sem vergonha, constrangimento e muito científico e profissional.
Agora, como mãe...
Puzt amiga, não faço a menor ideia de como reagir, o que falar e como explicar...ai, ai... difícil, difícil...kkkk
Bjs
Ju

Mari disse...

ai céus, o fatídico momento de enfrentar o pudor e explicar "coisas" para os pequenos...
também joguei essa dúvida há um tempinho (aqui: http://pequenoguiapratico.blogspot.com/2011/03/de-onde-viemos-para-onde-vamos.html), e o post rendeu um bocado de comentários (e dicas) legais. fui atrás de um livro que indicaram, "mamãe botou um ovo", e achei bacana - mas confesso que censurei uma página porque achei gráfica demais, hahaha! bem resolvida eu, né?
beijo!

Nuana disse...

Meldels...tb nao sei oque fazer qdo essa hora chegar...acho que vou esbranquiçar e me embasbacar toda pra responder...
quem tiver idéias please caprichem no comentário
kisses

Bianca disse...

Olá Camilla!
Esse é um assunto que deixa a gente de saia justa mesmo, rs. Dei uma lida nas respostas, e aprofundando a resposta da sementinha, na 'minha época de responder isso' (minha filha hj tem 12 anos e as perguntas deram uma boa piorada, rs) eu comprei o livro 'De onde viemos?'

http://www.livrariasaraiva.com.br/produto/2610829/de-onde-viemos-explicando-as-criancas-fatos-estranhos-da-vida-sem-absurdos/?ID=B11322497DB050514300B0524

O livro é uma gracinha sem fazer a criança de boba.

Caso haja enteresse, posso te enviar digitalizado, meu e-mail é bianca.osses@gmail.com

Beijos e boa sorte

Renata Senlle disse...

Ai, ai, ai! Meu baby tem três meses e meio, então é melhor eu ficar quieta e guardar esses comentários todos acima e usar como dicas pra quando chegar o meu momento de ter de responder essa pergunta! rsrsrsrs
bjks
Rê Senlle
http://umavidamaisordinaria.blogspot.com/

Ju Beltramini disse...

O legal é nunca deixar os pequenos sem respostas, Cá! Sugiro que vc comece com a história da sementinha que o papai deu pra mamãe cuidar... é a maneira mais natural e "dedutiva" de começar o assunto. Depois, parta pros livrinhos de educação sexual para crianças, superinteressantes, e boa sorte!
BJu.............Ju mãe do Bento.

 
Licença Creative Commons
O trabalho Mamãe Tá Ocupada!!! foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - SemDerivados 3.0 Não Adaptada.
Com base no trabalho disponível em www.mamaetaocupada.com.br.
Podem estar disponíveis autorizações adicionais ao âmbito desta licença em www.mamaetaocupada.com.br. Paperblog :Os melhores artigos dos blogs